Nossa Senhora de Fátima no comando da peregrinação - Santuário!

A peregrinação a pé para Fátima foi o time off mais arriscado e mais desafiante que fiz até hoje. Nunca tinha feito nada semelhante, e tão exigente. Mas fiz! Cheguei ao fim, cortei a 'meta'. Cumpri! Cheguei, chegamos ao santuário no dia planeado e como queríamos, juntos e bem. Nossa Senhora de Fátima esteve no comando, só pode. Eu acredito que sim.

Fiz cerca de 300km em sete dias muuuuito intensos e em que o mundo se concentrava ali. Só ali havia vida, naquela equipa movida por uma única missão - chegar a pé até Fátima -. Uns por promessa, outros por experiência, uns para pedir, outros para agradecer, outros a dar apoio, seguimos em frente com a peregrinação que se começava a complicar, e muito (risos). Sim, para mim faltavam duas etapas, dois dias, mas as dores eram muitas, e em todo o lado. Até a cabeça, que não caminhava, estava um 'caco' (risos). Mas nunca pensei em desistir, em não conseguir. Pensei nisso, e muito, mas antes da peregrinação.

As horas de caminhada antes do almoço foram feitas de forma dolorosa. As minhas. As unhas dos pés não suportavam uma meia, mas eu caminhei, tinha que caminhar, queria chegar ao destino. Queria acabar a etapa. Nessas alturas a vara (a melhor, era do avô materno) que me acompanhou e deu força em toda a peregrinação fez de 'reboque'. Sim, fui durante algum tempo a reboque de uma vara que não me deixou parar, descansar, quebrar, ... 'não podemos parar, parar agora é morrer', 'temos que seguir, agarra-te à vara', ... dizia a minha prima que puxava pela vara, por mim, e a quem roguei as piores 'pragas' (risos).

Faltavam duas etapas, dois dias, e já me cheirava a Fátima, ao nosso destino! As estradas, os caminhos, os atalhos estavam cheios de peregrinos, de todos os pontos do país. Grupos grandes, grupos mais pequenos. Vi cor, vi animação, vi fé, e vi aquilo que não me esquecerei nunca - apoio, ajuda -. E as dores, as dores reduziram drasticamente, quase desapareceram. Foi incrível a força e a energia que tive para concluir as duas etapas finais. Estava fina, fresca. Parecia que estava a iniciar a peregrinação. Não houve reboque (risos), e cheguei mesmo a dizer, 'Nossa Senhora de Fátima esteve no comando da peregrinação, da minha'.

Cheguei, chegamos juntos a Fátima, ao santuário. Onde tínhamos que chegar. Emocionei-me muito. Foi uma equipa, uma família junta a pé até/ para Fátima. Já não há dores. Ficam saudades, muitas. Obrigada Nossa Senhora de Fátima!

















Comentários