Verona, que agradável surpresa! Visitei uma cidade cheia de Vida – uma vida arranjada, composta -, e ruas, muitas ruas estreitas com comércio, lojas e lojas a venderem na sua maioria vestuário e calçado elegante e de qualidade (a avaliar pelo preço, risos) onde passeavam muitas pessoas, na grande maioria turistas como eu. As pessoas circulavam arranjadas e elegantes, e davam ainda mais cor e movimento ao centro histórico da cidade. Um centro onde os prédios eram todos eles motivos de parar. Parar para sonhar e fotografar (está claro, risos).

Comecei por passar junto da arena de Verona, um monumento gigantesco rodeado de restaurantes que se alinhavam rigorosamente um a seguir ao outro e onde se destacavam esplanadas bem equipadas e muito confortáveis (pelo menos à vista, risos). Também desfrutei da cidade em altura através de uma das suas principais torres, a – Torre dei Lamberti -, uma vista a 360º magnífica e protegida. Também passeei junto ao rio, mas depois voltei às ruas movimentadas e ao turismo (risos).

Sim, finalizei a visitar a  – Casa da Julieta -, a casa onde supostamente morou Julieta, e a famosa varanda onde ouvia as juras de amor do seu Romeu. Um espaço bonito, mas muito turístico. Muitas pessoas, muitas fotografias, muitas lembranças, muitos post-its pelas paredes com juras de amor, e corações, corações por todo o lado. O amor estava no ar! Podemos não gostar dos seus finais quase sempre trágicos (como seria suposto, risos), mas somos ainda muitos os que gostamos e procuramos por fortes (e muitas vezes proibidas) histórias de AMOR.

 

Deixe uma resposta