Ainda a explorar as aldeias de montanha de São Pedro do Sul, resolvi ter coragem e partir para um time off na Pena. Uma das aldeias preservadas mais míticas e típicas do município, e do país.  No entanto, visitá-la é só para os mais destemidos. Corajosos! Entre montes da serra de São Macário, e lá ao fundo, a uma distância de cerca de 3 km já a começava a ver. O casario, e o que me esperava. Um percurso e um trajeto – aventura – para lá chegar. Uma estrada íngreme, de dois sentidos, mas de sentido único. Só passaria um carro. Não seria aconselhável olhar para a berma, mas fui! Desci às profundezas. Lentamente, e com um mix de sentimentos, vou não vou, cheguei…

Lá, um enquadramento único. ‘Que lindo’, ‘Que aldeia de sonho’, ‘Gostava de viver aqui’, ‘Riquíssimo o nosso Portugal’, ‘Nunca vi nada assim’, ‘Que surpresa!’, ‘Ultrapassou todas as expectativas’ …. Valeu a pena a aventura? Se valeu! Xisto e ardósia preenchem o casario da aldeia. Cores frias, muito escuras, e pouca luz natural convidam à contemplação. Respeito! Uma pequena aldeia onde hoje vivem menos de 10 pessoas. Dito por um local, que vive para partilhar, com quem chega, muitos dos ofícios e da gastronomia local. Sim, estão preparados para receber, e querem os turistas por lá. Sobre a aldeia dominava a sombra. A vista, encantadora, era agreste. Mas é isso que a diferencia de outras aldeias, o maciço rochoso em que está assente e os montes que a rodeiam, tornam-na numa aldeia postal. Andei por lá, a pé, como faço sempre, e fotografei. Há momentos que se devem guardar. Valem a pena!

Deixe uma resposta