O bordado de Tibaldinho é Património Cultural e Imaterial do país, está registado! A sua confeção, caraterizada por um harmonioso bordado a branco, sobre pano branco, é um caso particular, e único, entre os bordados tradicionais portugueses. Representa um símbolo de identidade e orgulho para Tibaldinho, a localidade, e para o município de Mangualde. E eu fui até lá. Um time off a ver e perceber esta valiosa arte no ‘terreno’. Estive junto de quem sabe, uma das bordadeiras de Tibaldinho, a Cidália Rodrigues.

Relativamente à origem do bordado, não há dados concretos, acredita-se anterior a 1500. No entanto, ganhou relevo no séc. passado, nos anos 20. A presença em eventos de relevo, nomeadamente internacionais e relacionados com a governação, a transmissão dos saberes de mães para filhas, os cursos de formação feminina que incluíam nos currículos o ensino das técnicas de bordar, tudo contribui para que esta técnica de bordado permanecesse viva. Hoje, aliás, desde 2012, um Produto certificado. Uma forma de promover e garantir a autenticidade, a genuinidade e a qualidade da produção. E bem!

Entrar no atelier de Cidália é visitar um espaço de artesão, artista. São vários utensílios, e são também várias peças. Umas a começar, outras a terminar, outras prontas. E depois é acompanhar todo o processo – riscar a peça, abrir ilhós com tesoura, bordar, ‘tosquiar’ o bordado do reverso, lavar a peça manualmente, corar ao sol, passar a ferro do reverso, aparar o recorte,  …-. São já várias dezenas de anos a trabalhar no bordado de Tibaldinho, a sua atividade profissional desde sempre. A dar formação, a marcar presença em feiras, a fazer trabalhos por encomendas, o Tibaldinho é o seu mundo! Um mundo bonito…

 

 

Deixe uma resposta