Fui visitar a Amadora. Um time off na cidade das pessoas, da multicularidade. É uma das cidades mais povoadas do país, integrando mais de 100 nacionalidades. A visita foi ‘filtrada’. Teve que ser, não havia tempo. Decidi conhecer alguns dos seus pontos turísticos mais relevantes. As principais atrações. O foco incidiu no mundo das artes e na natureza. Duas identidades e forças do concelho.

A visita

Iniciei na rua, no mapa de arte urbana. Um projeto – conversas na rua – lançado em 2015 para alterar o estigma negativo associado à cidade. Hoje, conta com mais de 100 registos de pintura mural. São obras de arte maravilhosas, com mensagens, com significados, …., com gentes do ‘nosso Portugal’. De notar que a Amadora foi, e é, também a capital nacional da Banda Desenhada, BD. Portanto, responsável por: i) organizar anualmente o Festival Internacional de BD; e ii) partilhar e promover a arte. Há murais com alusão ao tema. Vi-os, fotografei-os.

Não estava nos planos, mas é impossível resistir. Circular nas vizinhanças da Gomes Freire, é sentir um aroma intenso a mentol. Fui procurá-lo, e eis que me deparo com a fábrica de rebuçados peitorais mais populares do país, a Dr. Bayard! Desde sempre a operar, e bem, ali. É uma das marcas mais fortes da Amadora. Chegam a produzir 800 mil rebuçados dia.

Ainda no âmbito das artes, não pude deixar de visitar a Casa Roque Gameiro. Uma referência do património histórico e cultural da cidade. Um espaço trabalhado para a cultura, a educação permanente e o lazer. Tão encantadora por fora, pelos magníficos jardins, como por dentro, é principalmente no seu interior que a sua missão se cumpre, através de uma oferta regular de exposições e de atividades diversas.

Para me despedir, fui até dois dos seus espaços verdes: i) o parque urbano do Neudel – inaugurado em 2017; e ii) o parque Central, inaugurado em 2010. Distantes e diferentes, representam dois exemplos claros que há espaços, arranjados e bonitos, para: caminhar, relaxar, desfrutar, praticar atividades físicas várias, brincar, jogar, …, respirar!

Deixe uma resposta