Viajei até bem ao Norte do país, fui até Vinhais, uma vila portuguesa pertencente ao distrito de Bragança. Num dia quente de verão, tive um time off dos diabos!

A vila de Vinhais é conhecida como a capital do fumeiro. Tão bom! E foi por ‘aí’, pelo Centro Interpretativo do Porco e do Fumeiro que comecei a minha visita. Para além das várias raças e de maquetas artísticas do porco, está também apresentado o processo de produção de fumeiro. Transparência e partilha de conhecimento. Gosto!

Depois, e logo ali, a poucos metros, explorei o centro histórico. Caminhei até ao castelo (antigo Castelo da Vila), e fotografei. ‘Saltei’ muralhas, estive na porta sul e na porta norte e ainda visitei o Centro de Interpretação do Parque Natural de Montesinho. Informação que me permitiu conhecer e ‘viajar’ até ao parque, mesmo sem sair do lugar (risos).

Fui até ao Convento de São Francisco, visitei o museu de arte sacra, e fiz também o ‘circuito’ interno de acesso à Igreja de N.ª S.ª da Encarnação, à Igreja de São Francisco e à Capela de N.ª S.ª das Dores. Tudo num só espaço. Já no antigo Solar dos Condes de Vinhais, agora transformado em centro cultural do município, conheci algumas das tradições mais peculiares do concelho. As animadas, coloridas, barulhentas e ‘assustadoras’ festividades de inverno.

Terra de tradições, Vinhais é também o maior produtor nacional de castanha, uma distinção que não passa despercebida por quem ali passa. O maior assador do mundo é deles! E foi de lá, junto a ele que me despedi …

 

 

Deixe uma resposta