São Pedro do Sul é uma cidade portuguesa conhecida por possuir a maior e mais desenvolvida estância termal da península ibérica. No entanto, o município também é natureza e património cultural. Aldeias de montanha e serras mágicas para descobrir e explorar, e eu fui até lá! Um time off encantador e único. ‘Perdi-me’ por Covas do Rio. A aldeia afastada, isolada e viva da União das Freguesias de São Martinho das Moitas e Covas do Rio. Uma viagem pelo ‘nosso Portugal’ mais rural, mais natural, e por onde o Homem não tem mexido muito. E que bom!

Paisagem verde, com montanhas a toda a volta, e Covas do Rio no sopé, distribuída pela encosta. Um aglomerado de casas, muitas em xisto e com telhados de lousa, e outras mais recentes, mais coloridas. Circulei pelas ruas estreitas e sinuosas, quelhas por onde não passam senão pessoas e animais. A pequena povoação viveu e vive essencialmente da pastorícia. Encontrei um rebanho no adro, junto à Igreja, e ao coreto. Estavam a deslocar-se para a serra. Fotografei-as. No entanto, também há vacas, e dessas vi as marcas na calceta. Andavam no monte, nas pastagens frescas que rodeiam a aldeia. Água fresca em vários cantos. Ali, o regadio ainda é o mais tradicional. Animais e pessoas convivem lado a lado. Felizes. Percebi-o. Poucos mas bons. Foi assim que me despedi de Covas do Rio, com um mindset – quantidade, não é qualidade, e a felicidade pode ser o que nós quisermos …-.

 

Deixe uma resposta