No concelho de Vila Nova de Paiva, parei em Vila Cova à Coelheira. Fui conhecer o Parque Fluvial do Rio Côvo. Que belo fim-de-tarde de outono, de outubro. Que o ‘nosso Portugal’ continue assim. Sempre a surpreender.

O parque apresenta-se a poucos minutos da povoação, junto à estrada principal, a poucos metros. Foi fácil chegar lá. Está em situação inferior, é uma área relativamente plana e ampla. Está pronto a receber, e convida a que se aproximem. A que se caminhe pelo grande espaço verde, a que se atravesse a pequena ponte de pedra. Maravilhosa, e que ajuda a remeter todo o cenário para uma espécie de conto de fadas. Uma ‘espécie’ mundo de brincar. O espelho de água é o rio Côvo, em dois formatos. De um lado da ponte, um tipo lago, depois, um largo e sereno ribeiro camuflado pela densa vegetação. Árvores. E mais uma ponte a ligar as duas margens. O enquadramento é o mais natural e virgem possível, estamos em meio rural. A poucos metros do rio, e ainda no parque, três azenhas com os respectivos canais de transporte de água.

Agora é voltar nos dias mais quentes. O espaço está equipado com infra-estruturas de apoio para esses dias. Para os dias de verão!

Deixe uma resposta